domingo, 23 de maio de 2010

23 de maio





Tudo que escrevo parece já ter sido escrito

o que eu digo, já foi dito

o que eu vivo, foi vivido.

Trata-se de um ciclo, repetição.


Mas sei que eu posso dizer o mesmo,

e dar outro significado às palavras.

Posso viver o mesmo,

e sentir com outros sentimentos.


Posso, escrevendo, encontrar uma brecha

e esconder as novidades nas entrelinhas.





7 comentários:

Mariana disse...

Renata, antes de qualquer coisa, deixe eu me apresentar. Me chamo Mayara Azevedo, sou estudante do ultimo ano do curso de psicologia do CEULP/ULBRA, e tenho 21 anos.

Gostaria de lhe dizer que escreve muito bem, e que esse texto, assim como o que redigiu dia 09/05/2010, intitulado "Corre que lá vem a chuva..." expressam por meios das suas palavras os meus sentimentos, ou melhor, o meu estado de espírito. Fique impressionada ao ler, e perceber que "Tudo que escrevo parece já ter sido escrito", como você mesma colocou, sinto como se suas palavras saíssem da minha boca, ou melhor, de dentro de mim.

Meus parabéns pela sinceridade, e pela forma como conduz as palavras em um texto, isso faz de você uma boa escritora...
OBS: tomei conhecimento do blog por meio da Ângela Batista, que estuda comigo na ULBRA... Como não tenho conta no google para poder postar esse comentário, usei a conta da minha irmã (Mariana), rsrsrs.

Att, Mayara Azevedo.

Ângela Batista disse...

Duds: a última existencialista desse mundo materialista! rsrs
Sabe, quando conversava com meu pai sobre essas coisas, ele simplesmente me falou que ele descobriu valor de phi e as formas de achá-lo sozinho! Claro que isso já era patenteado, mas ele nem imaginava e pensou descobrir algo importante no mundo... balela, coitado ... Tomo isso como lição pra sempre!
Como ninguém é = ninguém, o fantástico é expressarmos nossa subjetividade da forma que pudermos...
Ainda não sei se o pensar e o sentir são repetidos, talvez as formas de expressão existentes que são limitadas, fazendo tudo paracer cópia, plágio, clichê... Realmente não sei!
Mas saiba, Duds, que na minha opinião você está muito perto da originalidade. Então, sendo lisonjenta sem querer ser: adorei =)

Ângela Batista disse...

May, permita-me falar que você também fará Direito (quer dizer, já fez 1 ano e parou) e é filha de Freud!! haha bjo

Renata Oliveira disse...

Mayara, fiquei muito contente com seu comentário, obrigada!
É particularmente bom saber que alguém que nem me conhece entende meus textos e ainda se identifica com eles.
É interessante perceber também como as palavras podem ligar as pessoas, como os sentimentos podem se misturar e se confudir, como se fossem os mesmos(como diz a poesia...rs).

Agradeço mais uma vez.

Renata Oliveira disse...

Duds, seu elogio também é muito bem vindo! =)

Camila Marques disse...

Ai, gente, é por isso que eu amo esse blog...tem conteúdo, tem desabafo, tem diversão...
Desculpem por não estar postando mais...mas é que não tenho ideias...e os posts de vcs me deixam tão intimidada para escrever.

Ângela Batista disse...

Srta Camila, segundo o regulamento do blog, é proibido se sentir intimidada! ;p