domingo, 30 de maio de 2010

Raul, o cara que realmente sabia das coisas.

Ouro de Tolo
Raul Seixas


Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês...

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso
Na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar
Um Corcel 73...

Eu devia estar alegre
E satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado
Fome por dois anos
Aqui na Cidade Maravilhosa...

Ah!
Eu devia estar sorrindo
E orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa...

Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado...

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto "e daí?"
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado...

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Prá ir com a família
No Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos...

Ah!
Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro
Jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco...

É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal...

E você ainda acredita
Que é um doutor
Padre ou policial
Que está contribuindo
Com sua parte
Para o nosso belo
Quadro social...

Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...

Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...

8 comentários:

Ângela Batista disse...

Não quero criar uma nova postagem para isso, não quero falar de política, muito menos de politicagem, mas acabei de ler (sem ter assistido o filme) o livro da Denise Paraná: Lula, o filho do Brasil, e tô chorando até agora... Isso é só pra dizer que em outros momentos, essa música não me sensibilizaria tanto quanto agora!

Rodrigo César disse...

Raul é o cara que, quando todos os coleguinhas intelectualizados, da nata soteropolitana, iam ouvir bossa e tropicália, tocava little richard e ia dançar nos arrochas da época.. não vi o filme do Lula, mas se de algum modo fazem alguma relação da música de raulzito com o presidente, é uma grandíssima pena!

Ângela Batista disse...

Não entendi porque é uma grandíssima pena...

Ângela Batista disse...

Aliás, entendi! Cada um tem um time pra torcer mesmo...

Rodrigo César disse...

Ah, sei lá, é tipo o Itaú usando de música de fundo "Imagine" na propaganda nova.. eu não sei se John Lennon curitia da associação.

Rodrigo César disse...

*** curtiria

Ângela Batista disse...

Não, rapaz, eu não disse em nenhum momento que a produção do filme usou Ouro de Tolo como música de fundo (outras cairiam melhor...), até mesmo porque eu não sei, pois também não assisti o filme... Somente "me, myself and I" fez uma associação de algumas coisas em comum nas 2 histórias (only e no more)=)

Rodrigo César disse...

Ah, só... então perdoa a minha burrice :P